Fale Conosco+55 (49) 99804-4550
Postado em 22 de Outubro às 15h17

PAPO DE PROFISSA: Confira esse método para te ajudar a alcançar melhores resultados na corrida!

  • Vidas Corridas -

Olá, Corredores!

Quando Sir Dave Brailsford tornou-se o diretor de performance da equipe Britânica de ciclismo em 2003, a Grã-Bretanha aparecia esporadicamente no quadro de medalhas Olímpicas neste esporte. Porém, depois de sua chegada, a equipe conquistou 2 medalhas de ouro nas Olimpíadas de 2004, 8 em 2008, e outras 8 em 2012, estabelecendo vários recordes Olímpicos e Mundiais no decorrer deste período. Além disso, nenhum atleta britânico havia ganhado a Tour de France, prova tradicional do ciclismo com mais de 100 anos de existência. Isto mudou em 2012 quando Bradley Wiggins conquistou pela primeira vez o título da prova. Também sob a liderança de Brailsford os britânicos ganharam 59 medalhas de ouro nos Campeonatos Mundiais entre os anos 2003 e 2013, e sagraram-se campeões da Tour de France 6 vezes, entre os anos 2012 e 2020.

Como isso foi possível? Como uma equipe de performance inexpressiva passou a dominar seu esporte numa década?

A metodologia de trabalho implementada por Sir Brailsford tinha como um de seus pilares a agregação de ganhos marginais, que é a busca de pequena margem de melhoria no maior número possível de aspectos envolvidos em determinada atividade. Este pilar nasceu da ideia de que se listarmos todos os itens que pudermos pensar que estejam envolvidos no desempenho de uma atividade e, em seguida, melhorarmos cada um deles, por exemplo em 1%, obteremos uma melhora significativa no desempenho desta atividade quando da soma de todas as pequenas melhorias. Para nós, corredores, idealmente isso culminaria em sucesso na nossa prova alvo.

A ideia é simples, mas não é simplória e baseia-se numa perspectiva de progressão e não de perfeição, trazendo o foco para o aqui e agora, para o que podemos melhorar hoje. Isso tudo parece abstrato para você? Vamos então para alguns exemplos práticos.

  • A equipe britânica pintou o chão do caminhão das bicicletas de branco, para detectar poeira que pudesse interferir no equipamento; 
  • Utilizou um túnel de vento, para buscar melhorias na aerodinâmica; 
  • Levou colchões e travesseiros para as competições para que os atletas pudessem manter a qualidade de sono todas as noites;
  • Contratou um médico para ensinar sua equipe a lavar as mãos corretamente. Com melhor higiene, eles adoeceram menos e puderam treinar mais.
  • Nesta mesma linha de prevenção de doenças, eles cumprimentavam pessoas sem tocá-las durante as Olimpíadas (o que é compreensível e coerente com a fase de pandemia que estamos vivendo).

Mas será que a metodologia de ganhos marginais traria resultados palpáveis para corredores amadores? Vamos pensar em algumas possibilidades de ganhos marginais aplicadas ao nosso contexto:

  • Investir alguns reais a mais num bom par de tênis e meias de corrida;
  • Usar o tênis certo para determinado tipo de treino e/ou terreno;
  • Investir na higiene do sono para melhorar sua qualidade;
  • Cultivar bom relacionamentos em casa e no trabalho, evitando estresse emocional;
  • Ter acompanhamento profissional para manter o aperfeiçoamento constante dos seus treinos;
  • Praticar técnicas psicológicas que funcionem para você.

Quando aplicada deliberadamente, esta metodologia tem grande potencial para atletas recreacionais, amadores ou de elite. Ela valoriza o estabelecimento de hábitos para melhoria constante. Pense no resultado de nos comprometermos em fazer algo um pouquinho melhor todos os dias.

Como é meu costume nesse espaço, citarei alguns aspectos mentais que afetam o nosso desempenho.
Pesquisas estabeleceram correlações entre melhoria da performance com os seguintes hábitos mentais:

  • Positividade;
  • Uso de associação, dissociação e visualização;
  • Estabelecimento de objetivos claros e auto-definidos.

Além disso, uma revisão sistemática feita por McCormick e colaboradores sugere que práticas psicológicas destinadas a aumentar a motivação e a reduzir a percepção de esforço podem melhorar nosso desempenho em provas de endurance (nesse estudo, endurance é qualquer atividade contínua com duração maior que 75 segundos!). Eles também encontraram evidências no uso de visualização, diálogo mental e definição de metas. 

Bora aplicar a metodologia de ganhos marginais na sua corrida? Então papel e caneta na mão!

1) Preencha a lacuna: Como posso melhorar um pouco meu/minha ______? (exemplos: aquecimento, técnica, cadência, regeneração, preparação mental para o treinos e provas, atitude, foco, alimentação, hidratação, sono, cuidado e manutenção de equipamentos, etc. 

2) Responda a pergunta;

3) Implemente. 

Happy running!

PARA SABER MAIS (REFERÊNCIAS)
Sobre ganhos marginais e mudança de hábitos:
Clear, James. Atomic Habits: An easy & proven way to build good habits and break bad ones. New York: Penguin Random House, 2018.

Sobre aspectos mentais que influenciam nossa performance:
McCormick, Alister et al. “Psychological Determinants of Whole-Body Endurance Performance.” Sports medicine (Auckland, N.Z.) vol. 45,7 (2015): 997-1015. 

  • Vidas Corridas -

Silvana Meira

  • Treinadora de corrida, CREF: 026100-G/SC.
  • Graduada em Educação Física pela UFPR e em Psicologia pela University of California, Berkeley.
  • Certificada Life Coaching, Personal Training e Treinamento Funcional para corredores.
  • Atleta de atletismo (Heptatlo) e há 15 anos participa de corridas de rua e trilha em diversos países.

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

PAPO DE PROFISSA: O que é Pliometria29/06Para que serve o exercício de Pliometria? Pliometria é uma forma de exercício que busca a máxima utilização dos músculos em movimentos rápidos e de explosão. Seu conceito baseia-se na exploração do músculo em sequências de contrações excêntricas e concêntricas buscando a otimização do mesmo. As ações dos......
Nutrição Esportiva x Antioxidantes18/01/19 De que forma a oxidação age no organismo? Durante o exercício, a respiração celular gera radicais livres. Isso origina as espécies reativas de oxigênio (EROs), moléculas liberadas pelo metabolismo......
PAPO DE PROFISSA: Acrescente o treino de força na sua rotina03/08COMO CONCILIAR TREINAMENTO DE FORÇA COM TREINAMENTO DE CORRIDA Provavelmente você sempre escuta dos seus amigos corredores e até você mesmo deve pensar: Nossa, não gosto de fazer exercícios de força, prefiro correr. Correto!? Sim, esta é uma verdade, afinal a grande maioria......

Voltar para Blog

  • Vidas Corridas -