Fale Conosco+55 (49) 99804-4550
Postado em 01 de Dezembro de 2020 às 09h32

PAPO DE PROFISSA: Dúvida de muitos! Qual tipo de carboidrato usar durante treino/ prova?

  • Vidas Corridas -

Quando pensamos em carboidrato lento ou rápido, queremos identificar a capacidade destes em alterar as concentrações de glicose no sangue.

Um carboidrato rápido é esvaziado do estômago, digerido e absorvido rapidamente, vai para a via de oxidação e geração de energia, diferente de um carboidrato de liberação lenta, que em alguns casos, precisa ser convertido em glicose no fígado e isso pode ser um processo que retarda a geração de energia. Portanto, esses carboidratos fornecem energia de forma mais gradual e ao longo de um período maior de tempo.

Para você entender, vamos listar os grupos de carbos:

  • Lentos: frutose, galactose, isomaltulose, amilose
  • Rápidos: glicose, sacarose, maltose, maltodextrina, amilopectina

Blends com mais rápida absorção:

  • Glicose + frutose,
  • maltodextrina+ frutose,
  • glicose+ sacarose + frutose

E aí, qual a melhor opção?

Todos já sabem que os carbos lentos não causam pico de insulina e glicemia.

Os carbos rápidos também não! Durante o exercício de corrida de média a alta intensidade, adrenalina (epinefrina) liberada causará uma queda na insulina, portanto, não precisamos nos preocupar com isso. Carboidratos lentos são ideais para corridas com oportunidades limitadas de beber ou comer, como nos treinos de endurance, trilhas superiores a 2 horas.

Outro ponto importante, é que os carbos lentos fornecem energia durante um período maior de tempo. Por isso eles ficam mais tempo no intestino, são liberados lentamente e tem maior chance de desencadear problemas gastro-intestinais, como diarreia, refluxo, arroto, estufamento e azia.

Então, para fechar e decidir, olha a dica aí corredor! Quanto mais carboidrato existe no intestino, que NÃO é oxidado, maiores são as chances de desconforto gastro-intestinais e os carboidratos mais lentos geralmente ficam mais tempo no intestino ?

  • Vidas Corridas -

Amanda Miranda

  • Graduada em nutrição pelo Centro Universitario São Camilo –SP
  • Curso de extensão suplementação nutricional na USP
  • Pós graduada em nutrição clinica funcional – VP consultoria – SP
  • Pós graduada em nutrição ortomolecular pela FAPES – Fundação de ensino e pesquisa do Estado de São Paulo
  • Pós graduada em nutrição esportiva funcional – VP consultoria

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

PAPO DE PROFISSA: Exercícios na forma livre, são mais eficientes, saiba por quê?20/04/20A ciência comprova: exercícios na forma livre, sem uso de aparelhos, são mais eficientes. Exercícios livres são exercícios multiarticulares (exercícios que movimentam mais de uma articulação quando executados). Os exercícios livres contam com respaldo de pesquisas recentes que confirmam sua SUPERIORIDADE para melhorar a força, o equilíbrio e a resistência. Esses estudos mostraram um ganho maior em força e......
PAPO DE PROFISSA: O que lesiona mais: volume ou intensidade de treino?24/11/20 Uma das maiores causas de aparecimento de lesões nos corredores tem a ver com o acréscimo de carga na planilha de treino sem as devidas adaptações. Vou dar um exemplo: um corredor que estava habituado a correr 15km/semana divididos......

Voltar para Blog

  • Vidas Corridas -