Fale Conosco+55 (49) 99804-4550
Postado em 02 de Março às 07h00

PAPO DE PROFISSA: OVERTRAINING: COMO EVITAR?

  • Vidas Corridas -

Overtraining

Sabia que dentre as inúmeras vantagens da prática regular de atividade física, uma das mais valiosas é que os exercícios físicos funcionam como um dos melhores remédios que existem?

Isso mesmo, exercício físico é remédio! As mudanças e adaptações fisiológicas que acontecem no nosso corpo são inúmeras. Desde ganhos claros de performance a redução significativa de morbidade e mortalidade, de doenças como hipertensão arterial, diabetes mellitus e doenças do coração. Mas assim como qualquer remédio, os exercícios têm que ser prescritos baseado no indivíduo e na dose-resposta.

A “superdosagem” de exercícios, e o desrespeito aos períodos de recuperação podem prejudicar as adaptações do organismo e causar um efeito reverso. Isso é chamado de “síndrome do excesso de treinamento” ou “overtraining”.

Sintomas podem variar muito:

 

  • Perda de condicionamento físico com perda de força e resistência;
  • Dor muscular persistente;
  • Sensação de fadiga crônica;
  • Elevação significativa da frequência cardíaca em repouso (este é um sinal bem típico);
  • Mudança de humor com quadro de depressão e irritabilidade;
  • Queda da resistência imunológica;
  • Perda da qualidade do sono.


Mas o diagnóstico não é tão simples assim, nem todo cansaço ou dor muscular já pode ser considerado overtraining, mas sim a sucessão e a piora progressiva dos sintomas.

Dentre as causas e agravantes existem muitas. Das quais, podemos também levar em consideração distúrbios hormonais, déficits alimentares e tempo insuficiente para recuperação dos treinos.

Esta é uma das poucas situações onde o tratamento exige uma diminuição drástica e até interrupção do treino por um certo tempo, bem como, corrigir os distúrbios metabólicos e alimentares relacionados.

O overtraining apesar de algo indesejável e até assustador na vida do atleta, é tratável e evitável com acesso multidisciplinar. Por isso sempre recomendo além de avaliações médicas seriadas, um bom suporte com fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo(a) e claro, avaliação e ajustes bastante criteriosos da carga de treino pelo(a) profissional de educação física.

 

  • Vidas Corridas -

Daniel Carvalho

  • Médico Ortopedista e Traumatologista com pós graduação em medicina do exercício e do esporte.
  • Triatleta amador.
  • Coordenador da residência médica de Ortop do regional.
  • Professor da graduação de medicina da Unisul.
  • Sócio proprietário do Centro Winner.

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

Papo de Profissa - Dr. Wilton Eckert15/06/20REMÉDIOS PARA EMAGRECIMENTO X DOENÇA CARDÍACA Tenho certeza que boa parte das pessoas que praticam a corrida tiveram como estímulo a necessidade de redução do peso e melhorar a qualidade de vida. Por esse motivo, resolvi trazer aqui o exemplo, de um caso real, que não deve ser seguido. Por ser um hábito muito comum e vivenciado seguidamente no consultório, o objetivo é fazer uma alerta e mostrar que as pessoas......
PAPO DE PROFISSA: Controlando a ansiedade em tempos de Pandemia08/04/20Psicologia do esporte e o controle da ansiedade dos corredores Olá, Corredores! Espero que você e seus familiares estejam saudáveis, seguros e fazendo sua parte para "achatar a curva" de contágio da pandemia. Apesar da minha formação acadêmica em......
PAPO DE PROFISSA: A importância do treino em casa!25/03/20TREINO DE FORÇA Quando falamos em treino de força, rapidamente já se pensa que seria necessário levantar muitos quilos de pesos na sala de musculação, concordam!? Diria que, em algumas fases do treinamento de força, realmente......

Voltar para Blog

  • Vidas Corridas -